sábado, fevereiro 12, 2011

Reconheço essa voz, o abismo me chama

Olhe para mim e veja,
Veja o que me tornei
Tentando buscar a verdade.
Como você mesma falou, eu perdi meu coração
Fumando um cigarro atrás do outro tentando sentir a morte de perto,
Cortando os pulsos para ver se da certo.
Tudo isso que você constrói nesse seu mundinho
Eu acho uma grande merda
Hoje eu só quero me trancar no meu quarto
Beber meu vinho barato
Ler o meu Bukowski
E fumar os meus cigarros.
Estou mais irritante do que você em dias de TPM.
Não peço que compreenda
Só que se afaste,
Só hoje,
Querida.
Desde então ela nunca mais voltou.

5 comentários:

Felipe S. disse...

Cara, você tem um estilo muito foda. Com muito sentimento, e até certo sarcasmo. Muito bom esse texto, como muitos outros seus!

Abraço!

Francyne R. disse...

eu também achei sarcástico e me lembra um pouco o velho buk.
Gosto bastante dos teus textos,
são fortes ,explodem em sentimentos e são sinceros é um soco no estômago .Parabéns.
__________
beijos.

Mirtes Rodrigues disse...

Muito bom esse texto,gostei muito mesmo.
Parabéns.

Francyne R. disse...

saudades dos teus posts

Hellen Hosseini disse...

Eu voltaria se fosse ela...
Gostei daqui, menino.