sexta-feira, janeiro 07, 2011

O que são dias ruins? [4/6]


Amanheceu o dia, Lauren acordou assustada e correu até o sofá, me viu lá, já acordado e sentado com o controle da TV em mãos passando de canal.
– Bom dia, Branca de neve eu exclamei brincando.
– Por que você não me acordou Enzo? Eu me ajeitaria, não queria te incomodar.
– Fica tranquila Lauren, fica tranquila.
Ela olhou pra o chão sorrindo timidamente, era tão linda. Já acordava graciosa.
– Esperei você acordar pra tomar café.
Tinha um bolo de chocolate na mesa, eu havia comprado na padaria logo cedo. Colocamos nosso café na xicara, comemos silenciosamente.
Terminamos, e ela falou: – Pode deixe que eu lave a louça e arrume tudo por aqui.
– Ok, eu não irei questionar. Falei brincando. Fui para o meu computador checar se havia algo.
– Hmm... Nada de interessante.
Chequei o servidor o qual eu administrava, mandei as informações para o chefe e pronto, serviço feito. Liguei na empresa pra saber se eles precisavam de algo. Eles nunca precisavam, eu só ligava pra mostrar que era um bom funcionário. Eu amava trabalhar em casa.
Sai em desparrada do computador em direção o banheiro para mijar, Lauren estava no banho com o box aberto. Eu fiquei envergonhado, tentando me explicar. Sai apertado e pedindo desculpas do lado de fora do banheiro. Eu vi muito, ela era realmente gostosa. Eu não consegui olhar a tatuagem, foquei minha atenção em outro lugar...
Ela saiu do banho enrolada na toalha eu entrei em disparada no banheiro, saiu um jato. Eu me senti até mais leve depois daquela mijada. Lavei as mãos e sai do banheiro ao encontro de Lauren, eu precisava me explicar. Ela me entendeu, fiquei sem graça e ela até deu risada de mim. Disse que eu ficava muito fofo quando estava perdido com minhas próprias palavras.
O inconveniente Lucas bateu na porta no dia seguinte, no mesmo horário do anterior, um pouco depois da gente tomar café antes dele sair para o trabalho. – Cadê a minha chave babaca? Ele grossamente falou.
Peguei a chave na mesa de centro da sala e entreguei na mão dele sem dizer nada, não queria arrumar encrenca com aquele troglodita.
Ele saiu de minha porta rapidamente, parecia estar atrasado.
Voltei para sala. Lauren estava assistindo qualquer coisa na TV, sentei na poltrona e comecei a olha-la ingenuamente.
– Enzo... Quando você entrou no banheiro... Você viu a tatuagem?
 – Não (preferi ser breve a dizer que estava olhando pros peitos dela).
Ela olhou pra TV e sorriu de um jeito que só ela sabia sorrir.
Eu perguntei se podia abraça-la, ela não respondeu só me mandou um sorriso. Acho que ela aguardava alguma atitude. Levantei-me de minha poltrona e fui até lá. Assistir TV abraçado com ela era o máximo que minha coragem alcançava e permitia. Mesmo assim era mágico.
Eu não prestava atenção na programação, e sim ficava de olhos fechados sentindo o cheiro dos cabelos dela. Do nada Lauren desligou a TV e viu meu rosto no reflexo, eu estava me deliciando de olhos fechados cheirando os lindos cabelos dela. Ela sorriu, eu percebi e fiquei vermelho de vergonha.
Ela se virou olhando para meu rosto, foi quando reparei que o roxo do olho dela havia sumido rápido. A pomada fez efeito em apenas dois dias. Ainda olhando no meu rosto ela falou: – Enzo, você é um fofo, e terminou me beijando no rosto.
Eu fiquei novamente com o rosto avermelhado, eu odiava isso. Era uma forma de entregar que estava gostando.
Comentei com ela: – Lauren, seu olho está melhor, você nem percebeu.
– Nossa essa pomada é boa mesmo!
Ficamos conversando por horas, eu adorava isso.
O dia passou, nem percebemos, olhei no relógio e já eram 23h43min, ficamos literalmente o dia todo falando sobre qualquer coisa ignorando as que realmente importavam. Não almoçamos nem nada.
– Nossa Lauren, já é tarde, muito tarde. Vou tomar banho.
– Eu vou em seguida.
Eu fui buscar uma toalha e ia já em direção ao banheiro.
– Enzo, eu não vou tomar banho em seguida de você.
– Ué Lauren, por quê?
– Por que eu vou tomar junto com você, posso?
Arregalei os olhos...
– Você tá brincando comigo?
– Não, é sério... Posso?
– Se você insiste...
Ela seguiu em frente se despindo.
Era uma obra de arte, a coisa mais linda de vi em minha vida.
Chegamos ao box do banheiro, ela entrou e ligou o chuveiro. Despi-me e entrei em seguida. Eu não conseguia me controlar, ela percebeu que eu estava ereto.
Mas que intenções têm uma mulher quando chama um cara pra tomar banho com ela?
Bem, foi a minha primeira e melhor transa. Foi intenso, ela disse que eu fui o cara que mais aguentei.
Tomamos banho, saímos do chuveiro, nos secamos e nos vestimos. (Eu estava tão preocupado em dar prazer pra ela que não reparei na tatuagem...).
– Enzo, você é o cara mais gentil e fofo que já conheci, ela declarou me beijando suavemente.
– Bem, você é linda. Tempo atrás fiquei reparando no elevador... E agora isso. Minha primeira transa, com a mulher dos meus sonhos.
– Primeira? Nossa você manda bem.
Trocamos sorrisos e fomos para o sofá, sentamos abraçados. Ela havia percebido que eu adorava aquilo. Eu perguntei se ela queria comer algo, olhei no relógio eram 02h27min da madrugada. O tempo voava ao lado dela.
Ela respondeu que sim, tirei o celular do bolso e pedi uns tacos, delivery 24h era uma coisa mágica, maravilho e genial.
Chegou à entrega, comemos e fomos dormir. Mas hoje ela foi pra minha cama, dormir comigo.

Nenhum comentário: