quarta-feira, dezembro 29, 2010

Clonazepam

Horas acordado se questionando,
Se negando a derrubar uma só lagrima.
Se autoflagelando com memórias,
Rindo sozinho de velhas histórias.
Uma oscilação entre o estar bem e o querer morrer
Medo do futuro e ao mesmo tempo a vontade de crescer.
Sei lá, um abraço agora talvez caísse bem,
Estático, sirvo de palco para o conflito épico entre o orgulho e os desejos.
A vontade de lutar é imensurável, os recursos e armas para tal batalha estão fora de alcance.
Tempo atrás tentei lutar com lanças forjadas em meu quintal,
Não durei muito na batalha, o orgulho tem alguma motivação,
Ele deve ser pago por alguma entidade superior para vir aqui
Todos os dias me torturar silenciosamente enquanto rolo na cama
Assistindo as derrotas dos desejos.

5 comentários:

Mr. Hyde disse...

Caralho.
Acho que nenhuma expressão pode definir melhor esse teu texto meu velho.
Pesado.
Forte.
Rápido.
De uma leitura avassaladora.
Adorei!
Parabéns mano!
Espero ver você no encontro de blogueiros!

Abraço

Fabiana disse...

Clonazepam... que loucura.
acho que o remédio mais pesado que alguns de nós tomamos pra fugir desses conflitos internos, é uma grande dose de 'eu'.
paradoxo inevitável da existência.
é ruim precisar tanto de si.

muito bom mesmo, cara.

Francyne R.N disse...

Nossa,
forte,intenso,ácido,
caramba muito bom mesmo,
caiu pra mim como uma luva,
texto acidamente maravilhoso,
me identifico muito com o jeito que vc escreve.parabéns.

bjos

Guilherme Sakuma disse...

Thiago, seus textos mostram bastante maturidade. Você é ociosamente jovem mas já sabe que tudo é merda de vaca.
Quando eu tinha a sua idade eu realmente acreditava que algum dia as coisas fossem dar certo como num filme de final feliz. Dá pra acreditar na minha idiotice de cabeça de abóbora cheia de bobó de camarão dentro?
Também tô sempre passando por aqui, acho deveras interessante tudo que você escreve.

Abraço.

­­Thiago Fialho disse...

Muito obrigado pelas visitas e pelos comentários. Um ótimo ano novo a todos. PS: O médico diz que o "Clonazepam" vai curar um monte de defeitos que só ele achou em você, É mentira. O remédio só esconde o vazio e as verdades numa parte escura do cérebro... Além de tudo é caro. Escrever é meu Clonazepam, meu remédio, minha cura. Vejo vocês aqui em 2011!!