quinta-feira, dezembro 30, 2010

Resultante II

Agora caio em desespero.
Percebi que os ouvidos em minha volta eram surdos,
E que meus gritos não surtiram efeito.
Não chamaram a atenção de ninguém,
Agora me vejo com a garganta estourada.
Aqueles gritos...
Eu pedia socorro,
Mas todos os ouvidos em minha volta eram surdos
Veja. Aqui esta o resultado da sua indiferença

quarta-feira, dezembro 29, 2010

Clonazepam

Horas acordado se questionando,
Se negando a derrubar uma só lagrima.
Se autoflagelando com memórias,
Rindo sozinho de velhas histórias.
Uma oscilação entre o estar bem e o querer morrer
Medo do futuro e ao mesmo tempo a vontade de crescer.
Sei lá, um abraço agora talvez caísse bem,
Estático, sirvo de palco para o conflito épico entre o orgulho e os desejos.
A vontade de lutar é imensurável, os recursos e armas para tal batalha estão fora de alcance.
Tempo atrás tentei lutar com lanças forjadas em meu quintal,
Não durei muito na batalha, o orgulho tem alguma motivação,
Ele deve ser pago por alguma entidade superior para vir aqui
Todos os dias me torturar silenciosamente enquanto rolo na cama
Assistindo as derrotas dos desejos.

domingo, dezembro 26, 2010

Você não levantou a mão pra falar, cavalo

Meus sonhos não serão corrompidos por suas palavras,
Meus desejos não serão corrompidos por suas ações.
Se for necessário rolar cabeças para que eu consiga
Vou pega minha espada e te fazer em pedaços.
Não opine e não questione o que eu planejei para mim,
Até o exato momento
Ninguém pediu sua miserável opinião,
Você nem ao menos levantou mão.
Para ter sua vez de relinchar.

sexta-feira, dezembro 24, 2010

Solução passageira de esquina

Seus problemas
Pra você são os piores
Insolucionáveis
Você não dorme
Seus problemas.
Todos que tem problemas também pensam assim
Você não está sozinho
Sente-se, vou pedir pra o garçom trazer uma dose.
Seus problemas,
Irão desaparecer
Pelo menos enquanto você tiver dinheiro
Para comprar
Pelo menos enquanto você tiver força
Para levar o copo até a boca,
Cheio de uma água
Que faz o fígado arder
Para levar o copo até a boca,
Cheio de uma água
Que faz de um derrotado
Um herói.
Cheio de uma água
Que no outro dia faz sua cabeça doer
E não te deixa relembrar dos momentos
Em que você foi
Um herói sem capa e sem superpoderes.

quarta-feira, dezembro 22, 2010

Brasil, mostra tua cara!

Eu moro num país
Governado por escrotos.
Onde um aumento sai mais rápido que um miojo.
Beneficio próprio,
Praxe governamental
62% foi presente de natal.

terça-feira, dezembro 21, 2010

Resultante I

Não é necessário inspiração,
Não é. Acredite!
Somente a vontade de escarrar tudo que está preso na garganta,
E não é catarro.
Não é verde,
Não tem estado físico,
Como aprendi na escola: “é algo abstrato”.
Você não vê, mas ele existe.
Ele está lá, atormentando.
O ódio que com o passar dos dias você foi criando.
Agora sem hesitar encho o peito e puxo o mais profundo escarro,
Pronto para te acertar no olho,
E em seguida esboçar um leve sorriso no rosto.
Vingança, como é saboroso seu gosto.

sexta-feira, dezembro 17, 2010

Mais uma nota para que você não esqueça!

Sei que são pra mim essas palavras,
Sei que sou eu o seu palhaço.
Essa é a prova que você não me esqueceu,
É a prova de que nunca vai esquecer.
Acho que no fim do espetáculo é você quem deve receber os aplausos da plateia,
Pois foi você quem nos fez rir o show todo,
Com seus poemas fajutos sobre seu amor falido.

quinta-feira, dezembro 16, 2010

Vou assombrar até enjoar

Sei que você não aguenta,
Sei que minha presença te atormenta.
Acho até que engraçado sua cara de medo,
Essa imagem lhe trás lembranças e desejos.
Sei que a cada manhã você relembra de cada sorriso,
Sei que você odeia tudo isso,
E é por esse motivo que insisto.

terça-feira, dezembro 14, 2010

Angústia

Ninguém se ama ou ama ao próximo,
Ninguém se importa com nada,
E assim o planeta gira.
Movido pela indiferença.
Sem amor.
O universo está em desencanto,
Quem poderá nos defender?
Depois dos escombros, quem reconstruirá?

sexta-feira, dezembro 10, 2010

Rest In Peace

Aqui se faz aqui se paga.
Pode acreditar,
Morreu vira ração pra verme,
Todos vão pro mesmo lugar.
7 palmos e uma caixa de madeira,
Nosso fim.
E quando chegar sua vez, o que pensa em fazer?
O mesmo que faz agora enquanto lê,
Ficara inerte.
Depois que fecharem a tampa não há céu, não há inferno.
Somente decomposição.

quinta-feira, dezembro 09, 2010

Rumo ao gardenal

Ter memória é não ter paz,
Quando você pensa que tudo está indo bem os fantasmas aparecem.
Não assombram, mas aparecem.
Em seguida vêm lembranças,
Lembranças que não deveriam ser desenterradas.
Mas foram,
Desenterradas por uma mão graciosa,
Mão que um dia afagou,
Que ontem apedrejou e que hoje apunhala pelas costas.

sexta-feira, dezembro 03, 2010

Pseudoproblemas

A lata amassada e os neurônios corroídos,
Sua mãe chora e você se divertindo nessa roda de "amigos".
Sem futuro,
Sem nexo,
Sem pretexto,
Somente o fato de esquecer os problemas que você não tem,
Somente o fato de você não se importar com ninguém.

sábado, novembro 27, 2010

Eu encontro, e você sabe disso

Você se diz um livro aberto,
Mas as páginas que mais diziam foram arrancadas.
Você se diz um ser esperto,
Mas percebi as folhas rasgadas.
Pode se esconder, pode correr.
Corra, vá e corra pras montanhas com essas páginas, corra.
Eu vou te perseguir até lá, tenha certeza!
E antes que você decida atear fogo nessas páginas eu te encontrarei.
Lerei em silencio, e ai sim permitirei que tu acendas o fósforo.

quarta-feira, novembro 24, 2010

O meu Judas predileto

Seu escarro queima. Você sabe, e cospe na minha cara.
Eu viro as costas, você vai e mostra suas garras.
Você sabe que eu perdoo
E por isso erra,
E que eu não resisto e por isso peca.
Mas um dia chega o teu, é só pagar pra ver o que há de acontecer.
Sem perceber tu correrá,
Sem perceber tu morrerá.
E no dia em que eu não quiser te salvar?
Quem vai te segurar?

quarta-feira, novembro 17, 2010

Velha história

A todo o momento estive aqui,
Esperando você cair pra te segurar,
Esperando você chorar pra te abraçar.
Você me paga assim.
Seus lábios no daquele troglodita,
Você me paga assim...
Amanhã posso não mais estar de braços abertos.
Amanhã posso não querer você por perto.

quinta-feira, novembro 11, 2010

Eros e suas flechas

Entre um desejo e um bocejo um copo de café.
O desejo foi esquecido, o bocejo já foi espantado.
Foi muita cafeína pra ficar acordado.
Acordado até altas horas,
Trancado no quarto, rindo sozinho.
Rindo de piadas internas feitas por alguém que não tem senso de humor.
Rindo dessa piada que vocês humanos chamam de amor.

quarta-feira, novembro 03, 2010

L.H.C for the win

Assim seja,
Foi pronunciado no rádio,
Noticiaram na TV e saiu até no jornal.
O desespero dos que confiavam,
E as risadas dos que já sabiam,
O cientista maluco agora está são,
Ele provou que as palavras no livro sagrado nunca existiram.
E provou que com o choque de partículas as coisas surgiram.
Passaram-se 2000 e tantos anos e você foi iludido.

sexta-feira, outubro 29, 2010

Epicuro

Transformar tristezas em glórias,
Derrotas em vitórias,
Dar a volta por cima e pisotear sua cabeça,
Até que eu prove que cresci.
Você gritará pedindo por misericórdia,
Eu irei dar risada de sua cara,
Por que seu Deus não te salva dos chutes na boca?
Você falou tanta merda na minha orelha, e agora não sobra um dente.
Questionei o que você impôs e sem hesitar você me apedrejou,
Agora eu te pisoteio ouvindo gritos, e ninguém para te salvar!
Aquele por qual você clama não existe.
E você sem dentes ainda insiste!

sexta-feira, outubro 22, 2010

Odisséia sobre um final obscuro

Vou correr para o primeiro penhasco, você vai me pagar!
Você me fez ouvir o que eu não queria então vou te fazer chorar!
Se eu errei por que não conversar?
Você me magoou e não concertou, nem ao menos tentou,
Foda-se, agora eu vou pular!
Foi tudo em vão,
Suas palavras foram falsas, seus abraços vagos e seus beijos amargos.
Por que agora chora?
Você mesma não quis consertar, você me mandou embora e agora cai em prantos ao ver minha expressão de dor dentro dessa caixa de madeira.
Se sente culpada? Está arrependida? Eu não era um idiota?
Se quiser conversar venha,
Eu te espero no calor ofuscante do inferno para nos resolvermos, se pulei daquele penhasco foi por você,
Fui fraco e não queria te perder.

sexta-feira, outubro 15, 2010

Coisas dentro da cabeça

A escuridão chega despertando meus piores pesadelos,
Me deixa acuado a todos os sons e movimentos ao meu redor,
Como um transtornado vivo a olhar para os lados a procura de alguém me observando.
Você pode chamar isso de esquizofrenia, loucura ou idiotice, mas dentro da minha cabeça a seres me perseguindo e me botando medo,
Chame como quiser,
Mas a todo o momento há:
Medo dentro de minha cabeça
Medo dentro de minha cabeça.
Seres que me atormentam e não me deixam viver em paz,
Por favor, faça algo para que eu me segure, para que eu me esconda.
Faça algo para tentar fugir dos fantasmas despertos pela escuridão.


segunda-feira, outubro 11, 2010

Epifania mitológica; Prometeu voltou a tona

Quem dera eu,
Como Prometeu usar de minha inteligência para fazer acordos com os Deuses,
Um anel no dedo com uma lasca de pedra para ser livre.
Eu usaria mil anéis com mil lascas de pedra.
Tudo para livrar meu fígado dos corvos aqui na terra,
Para livrar meus olhos de novamente enxergarem a guerra,
Ser livre para sonhar,
Só preciso de um Deus para negociar em qual dedo o anel devo usar.

segunda-feira, outubro 04, 2010

Antidepressivo

Então é isso,
Cheguei à beira do abismo.
O abismo olhou pra mim e falou: “Você é um fracassado”
Olhe aonde vim parar...
Até abismos gozam de mim,
E desde então têm sido assim.
Até buracos e precipícios riem de mim,
Se negando a me deixar pular.

segunda-feira, setembro 27, 2010

Desordem e regresso

E quando acontecer a regressão,
Com paus e pedras nas mãos iremos te buscar.
Você então irá pensar: “Os garotos tentaram me avisar”,
Mas os sifões falaram mais alto,
Por sua culpa a terra foi coberta pelo asfalto,
Agora as flores aqui são feitas de plástico,
E nosso governo é feito por palhaços.
Você verá quando a desordem for estabelecida,
Seus homens e suas armas não serão páreos pra salvar sua vida.
Um exército de jovens insanos se formará,
Loucos por sua cabeça,
Loucos pra te mandarem pro inferno, junto com seu poder.

quinta-feira, setembro 23, 2010

O tsunami que você criou


Agora você se afoga com suas próprias lágrimas,
A solução no meu ponto de vista parecia ser mais simples,
Talvez uma conversa, quem sabe um passeio,
Mas todo o receio criou a distância. E que assim seja.
Tudo deu errado, e eu não queria que você chorasse.
Eu não queria, mas querer não é poder.
E hoje vejo você pedindo socorro, sendo levada pela correnteza salgada,
Correnteza feita por suas lágrimas,
Meu pedido caiu em ouvidos surdos, e agora sou jogado contra a parede.
Minha cabeça e suas mil voltas desordenadas,
Nada aqui é auto-explicativo,
Eu vou me matando sem perceber,
Assistindo você morrer sem te salvar, sem querer ao menos tentar.

sexta-feira, setembro 17, 2010

Entulho de coração

E por varias vezes pensei em por um fim,
Sonhei em desistir do final feliz.
O sonho virou realidade, evacuem a cidade. Haverá uma explosão!
O coração de pedra foi explodido por 1000 dinamites,
O botão que aciona a bomba foi apertado por seu dedo.
E agora pode demorar até que limpem a sujeira,
E agora pode demorar até que construam outro coração.
Se é que um dia reconstruirão...

terça-feira, setembro 14, 2010

O rabo do ser desprezível

Perdeu tempo julgando quem estava ao seu lado; 
Que se esqueceu de olhar o próprio rabo; 
Não percebeu o quão insignificante eram suas ações. 
Só sabe reclamar e dar sermões. 
Falar sem parar; 
Não ouvir, só questionar; 
Não procurar entender,
Contrariar o mundo mandando tudo se foder. 
Você sempre é o dono da razão 
Nunca parou para ouvir o que eu digo, 
A razão é sempre sua e você está convicto!
É esse conjunto de qualidades que o torna um ser desprezível!

segunda-feira, setembro 06, 2010

Apelo e gritos desordenados

Liberte-me,

Faça-me esquecer,

Tire isso de minha mente,

Deixe-me sonhar,

Ao menos tentar.

Onde é que tem?

Algo que mate o vazio,

Que destrua essas imagens distorcidas que causam a dor de cabeça,

Cérebro estúpido,

Por que insiste?

Pare de me mostrar o que eu já não quero ver.

Não mais,

Por favor, pare!

Isso me degrada,

Descobri que sou fraco, minha única arma são meus gritos,

Gritos que às vezes não saem,

As lágrimas?

Aqui nunca existiram,

Prefiro morrer de dor a derramar uma só gota.

Entre uma lágrima e um grito?

Contento-me em estourar a garganta.

sexta-feira, setembro 03, 2010

Esperando os destroços

Como um carro bomba pronto pra explodir!

Feito por revoltas

Transpirando ódio,

Gritando por libertação

Dominado pela insanidade

Sem alma nem coração

Sobrou somente um cérebro que gravou coisas horríveis,

Sobre um planeta que já morreu e de como o ser humano pode ser ruim.

Somente um cérebro que não permite seu dono viver em paz,

Somente um cérebro que não quer viver, não mais.

segunda-feira, agosto 30, 2010

Coisas repetidas sobre o antigo coração quebrado

Caminhando sozinho pelas ruas, Ouvindo minha música melancólica favorita, Tento me lembrar daqueles dias, Mas eu sempre falho. Eu não tenho lembranças. Ou talvez eu tenha... Mas eu estou bem sem lembrar, Eu estou bem sem você. Eu não quero sofrer novamente. Não por sua causa.

E mais uma vez agradeço meu subconsciente por manter você e o passado distante.

quarta-feira, agosto 25, 2010

Sobre as pessoas

Agora eu realmente não sei.

O que é verdade?

O que é mentira?

Eu estou perdido nesse oceano de pessoas falsas,

Eu realmente não sei em quem acreditar.

Esse mundo anda tão louco...

Nós podemos acreditar em alguém?

Podemos?

A única coisa que aprendi nessa seqüência de quedas é que tudo muda e destrói corações.

Mudanças que nos fazem cair, que nos fazem chorar

Alguns se levantam, secam as lágrimas...

Alguns superam...

Outros se limitam em apenas lamentar.

terça-feira, agosto 17, 2010

Não Adianta

Você pode gritar,

Eu posso gritar,

O mundo inteiro pode desesperadamente gritar ao mesmo tempo, não volta.

Você pode chorar,

Eu posso chorar,

O mundo inteiro pode desesperadamente cair em prantos ao mesmo tempo, não volta.

Nem todas as lágrimas do mundo têm esse poder,

Assim é o tempo,

O tempo que não volta e que nós nos esquecemos de viver, o tempo que deixamos passar sem perceber.

Não volta.

terça-feira, agosto 10, 2010

JUGGERNAUT

Que meu corpo seja mais forte que as paredes,

Que eu consiga quebrar todas as barreiras sem dificuldades,

Espero que seja e espero que eu consiga,

Pois vou correr sem rumo, sem desviar de tudo, até chegar a lugar nenhum pra então ver se lá é bom lugar de se viver.

quinta-feira, agosto 05, 2010

Cismar novamente

Quando se pensa que está tudo resolvido, por desencargo de consciência apenas aquela checada básica e inocente.

E você se espanta, vê que a pessoa não está tão bem quanto diz,

Ela sofre muito.

Deixou de viver por sua causa e ainda tem o dom de dizer que está bem e que está feliz.

Não quero ultrapassar nenhum limite que já tenha traçado,

Preciso falar algo pra tentar melhorar a situação, Mas não quero ouvir seu choro de novo.

Vou deixar como esta, outro dia eu volto pra checar como as coisas andam... Por enquanto só vou cismar novamente,

Sei que está tudo errado e de que alguém aqui precisa de ajuda.

terça-feira, agosto 03, 2010

Minha forca pessoal

Sem o dom de compartilhar magoas deixo a dor me corroer,

Meu orgulho que já não cabe no corpo e não me deixa chegar a quem eu confio pra tentar dizer o que está entalado e me indigna.

Tentar dizer o que não me permite sonhar,

E é assim que eu vou vivendo...

Guardando magoas e enforcando-se em meu próprio e maldito orgulho.

sexta-feira, julho 30, 2010

Use seu poder de dedução

Do nada surge um imenso vazio,

Geralmente ele não é preenchido,

Vago tédio,

Me deixa livre pra pensar,

Geralmente em coisas ruins...

Quero fugir dessa tormenta desperta pelo vazio, não mais ver coisas ruins dentro de minha cabeça.

Uma saída,

Uma saída rápida...

terça-feira, julho 27, 2010

Não é assim por opção

Hoje é só mais um dia ruim,

E que vou andar só pelas ruas ouvindo repetidamente a mesma musica melancólica tentando perceber aonde eu errei pra tudo acabar assim.

Hoje é só mais um dia que vai passar de forma dolorosa,

Sem respostas,

Como o ontem...

Vou tentar dormir, sonhar.

Talvez tentar fazer do amanhã um dia menos ruim.

Tentar fazer valer a pena à única oportunidade de existir.

segunda-feira, julho 26, 2010

Quem nunca sonhou em dizer isso: “Desculpa mãe, vou ser um rockstar!”

O fardo de ter que ser alguém me assusta,

O peso de ter um futuro promissor me sufoca.

E se eu não sanar as expectativas daqueles que sempre me apoiaram e me amaram?

E se eu correr atrás de sanar tais expectativas e esquecer os meus sonhos?

Não, não quero que seja assim!

Maldito dilema!

Ser feliz ou fazer felicidade?

Porque tem que ser assim?

Porque não as duas opções?

Por fim digo me desculpe.

Vou correr atrás de ser feliz...

Não quero ser doutor, tchau, vou viver do punk rock.

sexta-feira, julho 23, 2010

Ruínas daqueles dias

Uma palavra pra se sentir o ser mais idiota do mundo,

Uma ação pra se sentir o ser mais desprezível do mundo,

Desculpas nem sempre resolvem

Às vezes nem mereço suas desculpas,

Atormentado, aturdido

É assim que passaram meus dias depois daquele dia em que eu disse o que não devia.

Ociosos,

É assim que estão passando

Já não faz mais diferença

Dia, tarde ou noite

Não muda.

Sua desculpa não foi o bastante para eu me curar, não foi o bastante para ao menos eu me sentir curado.

Acho que o grande problema sou eu, Que agora como melhor amiga tenho as ruínas daqueles dias.

quinta-feira, julho 22, 2010

O mesmo sonho em outras noites

Mal durmo,

E no pouco tempo em que consigo não tenho sonhos novos, parece que perdi minha capacidade de criar sonhos, de sonhar...

Sempre que consigo sonhar o mesmo sonho se repete, sempre.

“Caminhando dentre um campo de plumas, ouvindo um som forte que me despertava curiosidade e me atraia, eu seguia em direção a esse som, e cada vez mais acelerando o passo tentando encontrar de onde ele saía.

Por um momento paro ergo a cabeça, olho para o céu, em seguida olho para meus pés que estavam todos ensangüentados, continuo subindo o olhar pra minhas pernas que ardiam (já ardiam faziam alguns minutos, porém eu pensava que era conseqüência da longa caminhada), mas o motivo de tanta dor eram cortes feitos por espinhos que estavam infiltrados dentre as plumas”.

E antes de eu encontrar de onde saía o som acordo ofegante.

Um dia depois de acordar ofegante desse mesmo sonho chego a uma conclusão:

Assim é a vida,

Quando menos se espera vem os espinhos, espinhos que podem estar infiltrados dentre as plumas.

Seja cauteloso em sua caminhada em busca de respostas e esteja sempre pronto para sangrar e ter a penas cortadas.

terça-feira, julho 20, 2010

Nosso “amiguinho” superego destruidor de amizades

Tire a máscara e tente sorrir.

Será que você consegue?

Você ainda se lembra o que é demonstrar afeto por alguém que não tem o mesmo sangue que você?

Você se lembra o que é um amigo, o que é uma amizade?

Há tempos não ouvia tamanha hipocrisia saindo d’uma boca só.

Não há valor maior nessa passagem pela terra do que um ombro amigo. Aquele ombro pra poder chorar nos momentos mais desesperadores da vida.

Eu fui teu ombro,

Apoiei você todo tempo e fui presenteado com uma facada nas costas...

É realmente você desaprendeu a amar,

Eu tentei, eu te avisei...

Não mais lamentar a perca de um amigo,

Ainda tenho outros amigos...

REAIS AMIGOS!

Que valem muito mais que você e seu caráter desprezível.

Faça-nos um favor, MORRA com seu superego.